sábado, 26 de março de 2011

Pensamento em Acróstico

Sensatez envolvente e persistente
Enquadramento em redoma reluzente
Natureza que enobrece e solidifica
Simular não condiz com a realidade
Inevitável forma de ecoar
Brado não significa grito
Irritação provoca aborrecimento
Liberdade ainda que tardia
Incrédulo aquele que renega a Deus
Discutir não é bater boca  
Amanhã, quem sabe, poderemos ter unidade fraterna
Discreto é aquele que não expõe sua sensibilidade
Explica-se: Ser sensível é ser coerente. 

A sensibilidade atrai o mentor de cada frase e isso provoca reações imediatas. Por essa razão, usar o ato sensível é ter certeza de que meditar, coincide com a reflexão. (Paulo Henrique)


Medo???

Quanto mais o tempo passa, menos conheço o ser humano.
E a certeza que ficará ainda pior daqui alguns anos ainda me assusta.
Quando acho que não posso mais me surpreender.
Eis que surge uma novidade. Um fato. Um detalhe.
O que mais você tem medo???
Eu tinha medo de coisa de outro mundo, mas hoje eu tenho medo de gente.
Gente que sorri de um jeito e pensa de outro.
Gente que te olha nos olhos docemente e dá grandes gargalhadas por dentro.
Gente que fala uma coisa e faz outra.
Gente que veste uma máscara de bondade e sorrateiramente leva seus dias de paz embora.
Tenho muito medo disso.
E mais medo ainda de saber que um dia alguém assim esteve perto.
Medo de gente faz a gente se conhecer melhor.
Faz a gente não importar mais com as palavras que a pessoa diz.
Mas ficar esperando o que ela faz.
E por mais que não saibamos o que ela faz. Um dia as histórias aparecem.
E aí que vamos descobrindo os detalhes que a compõem.
As doces mentiras. 
Que de tão doces, quase são verdades.
E a gente está tão obcecada, que qualquer sorriso bem dado nos comove.
Por isso continuo fincada com os pés no chão.
Já que pretendo passar por muito tempo por aqui, o melhor é me acostumar com elas.
Medo de gente....
Quem diria que um dia eu ia ter...
Devem ser os ares desses novos tempos, fazer o quê?!!

(Paulo Henrique)

quinta-feira, 24 de março de 2011

Feliz em te conhecer...

Na vida damos muitas voltas...
E, durante esses giros encontramos muitas pessoas que
nos marcam e que nos deixam alguma coisa especial.


Com você foi assim...
A gente se conheceu de repente naquele jeito que
somente a vida nos prepara e gostei da sua forma
de falar, de agir, de me tratar,
você já está sendo especial em minha vida.


Já ganhou um espaço íntimo em meu coração
espero que você também tenha tido
a mesma impressão de mim.


Pois estou alegre por ter conhecido uma pessoa
tão legal como você, tão diferente, tão agradável...


É não sei não...
Mas gostei de você e quero te falar
que eu estou feliz por ter conhecido você!

(Paulo Henrique) 

quarta-feira, 23 de março de 2011

Crônica do Amor


Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?

Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.

Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?

Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.

(Arnaldo Jabor)

Crônica da VIDA

Somos todos passageiros, passageiros de um trem qualquer, e vamos num daqueles comboios, e nosso subconsciente traça uma visão idílica.

Pensamos sempre no destino final, aguardamos ansiosos a nossa estação. Imaginamos , que nas estações da vida ao desembarcarmos haverá, bandas a tocar e bandeiras a acenar. E achamos que quando chegarmos a estação idealizada, todos os nossos sonhos irão se concretizar.
 

Assim passamos nossa vida a planejar:
 

“Quando eu tiver dezoito anos….”
“Quando eu comprar um carro novo…”
“Quando colocar meu último filho na Universidade..”
“Quando eu for promovido…”
“Quando me aposentar , vou viver feliz para sempre!”
 

Mais cedo o mais tarde , percebemos , que não há estação, não há lugar a chegar. A VERDADEIRA ALEGRIA DA VIDA É A VIAGEM. A estação é apenas um sonho, que fica cada vez mais longe.
 

Por isso devemos parar de contar os quilómetros. Em vez disso, vamos apreciar a viagem, curtir mais, o que vemos todos os dias, flores, paisagens, crianças, nadar no rio, tomar sorvete, olhar o pôr do sol, rir mais e chorar menos. Porque uma coisa é certa, a última estação, esta chegará.!!!
 
Por: Malubarni
Publicado no Recanto das Letras em 22/02/2011 

terça-feira, 22 de março de 2011

Dia Mundial da Água - 22 de Março

Desde os primórdios da humanidade, sabemos que o homem sempre se estabeleceu em locais próximos aos rios e mares, para garantir seu sustento através da agricultura.

A história do Egito faz uma excelente demonstração desse fato, quando os homens, às margens do rio Nilo, fizeram os primeiros aglomerados humanos e construíram as primeiras cidades do mundo. Ali já se registrava o quanto o homem era dependente da água.

Porém, com o passar dos anos, com a evolução da humanidade, a água passou a ser tratada com desrespeito, sendo poluída e desperdiçada.

Por esses motivos, a ONU – Organização das Nações Unidas criou o Dia Mundial da Água, em vinte e dois de março de 1992, para promover discussões acerca da consciência do homem em relação à mesma.

Em dez de dezembro de 2002, o senado brasileiro aprovou o dia nacional da água através do projeto de lei do deputado Sérgio Novais (PSB-CE). O texto destaca que esse deverá “oferecer à sociedade brasileira a oportunidade e o estímulo para o debate dos problemas e a busca de soluções relacionadas ao uso e à conservação dos recursos hídricos.”

A preocupação surgiu através dos grandes índices de poluição ambiental do planeta, envolvendo a qualidade da água que consumimos.

A ONU elaborou um documento com medidas cautelosas a favor desse bem natural, trazendo também informações para garantir a cultura de preservação ambiental, a consciência ecológica em relação à água.

Na Declaração Universal dos Direitos da Água, criada pela ONU, dentre as principais abordagens estão:

- Que devemos ser responsáveis com a economia de água, pois essa é condição essencial de vida;
- Que a mesma é um patrimônio mundial e que todos nós somos responsáveis pela sua conservação;
- Que a água potável deve ser utilizada com economia, pois os recursos de tratamento são ainda lentos e escassos;
- Que o equilíbrio do planeta depende da preservação dos rios, mares e oceanos, bem como dos ciclos naturais da água;
- Que devemos ser responsáveis com as gerações futuras;
- Que precisamos utilizá-la tendo consciência de que não devemos poluí-la ou envenená-la;
- Que o homem deve ser solidário, evitando o seu desperdício e lutando pelo seu equilíbrio na natureza.

Com esse documento, a Organização das Nações Unidas tornou obrigatório que todos os homens sejam responsáveis pela qualidade da água, bem como pela sua manutenção, tendo assim, formas de garantir a melhoria de vida no planeta.
 

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola



22 de Março dia da Água

Água nossa de cada dia

Água fonte de vida
Água esperança
Água que mata a sede
Água que molha a planta.

Água que brota da terra
Água que sai do chão
Água que molha o trigo
Trigo que faz o pão.

Água que sangra das pedras
Água que vem da natureza
Água que nos dá alegria
Água que revigora a beleza.(...)


(Paulo Henrique) 

domingo, 20 de março de 2011

QUERO VOCÊ...

Quero você,
como quem quer e precisa do ar que respira,
Naturalmente,
sem pressa e nem força,
mas para sempre.
Quero você por milhares de motivos
que existem e não consigo enumerá-los,
porque é meiga e mágica,
porque cativa e me encanta,
está em mim e faz falta...
Porque está distante e juntinho,
porque é frágil
e capaz de se parecer forte o bastante
para impor a saudade que sinto.
Quero você como se fora
a única maneira de tê-la por perto,
como se sua presença fosse a continuação da minha.
Quero você em meus sonhos,
nos pensamentos, nas visões
e na minha vida.
Quero você namorada, mulher e amante.
Quero você alegre para me embebedar de seu riso.
Triste para beijar suas lágrimas,
medrosa para lhe tomar a mão e
sonhadora para convidá-la a meus sonhos...
Quero sua alma para enlaça-la a minha,
seu coração para pulsar comigo.
Quero você porque quero!
Por motivos lógicos e insanos,
para estar com você,
por interesse,
razões inconfessáveis,
para beijar-lhe a boca,
sentir seu gosto,
fazê-la minha,
por me completar,
para passear de mãos dadas,
dançar e sentar nas areias deste sonho,
para saber de você.
Quero você porque é a maneira que encontro de lhe dizer
e confessar que a quero.
É o jeito que descubro de lhe chamar,
de pedir que fique comigo.
Mas não me pergunte
porque quero tanto você,
eu não saberia dizer!


(Paulo Henrique)

sexta-feira, 18 de março de 2011

Crônica de um amante imperfeito

Busquei entendê-la para diminuir nossas diferenças. Combato meus medos e receios.
Tentei diminuir a distância entre nós.
Mesmo morando perto, estamos separados por quilômetros infinitos.
Não dá pra continuar sendo como era antes, mas podemos manter o que conseguimos e continuar melhorando cada vez mais.
Não ser apenas um “casalzinho” com o paradigma de inconsequentes e imprudentes. Somos mais que isso!
Somos cúmplices e sabemos cuidar um do outro!
O fato de sermos jovens e sonhadores não nos tira a responsabilidade, nem a prudência e a coerência.
Quero continuar a viver o que vivemos hoje, sendo felizes e continuar buscando a felicidade, mantendo a cumplicidade e o respeito...
Quero provar mais desse amor! Quero provar, cada vez mais, o meu amor por você!
Tenho parado com as minhas surpresas, com os pequenos presentes, as cartas, os bilhetes, etc... Espero que me entendas, não quero que penses que perdi o interesse.
Tenho vivido numa correria louca e absurda que me faz parar pra pensar se essa loucura vale a pena? Isso tem tirado boa parte do meu tempo, da minha criatividade, mas não tira a vontade que eu tenho de estar com você! Cada vez mais! De viver com você. De querer você pra sempre!
Às vezes me pergunto se estou pecando no nosso relacionamento. Não perdi, meu amor, o interesse, o romantismo, a disposição, a vontade, o desejo. Não, não, não perdi!
Não sou como eu era ontem. Não somos como éramos ontem! Mas somos bem melhores hoje! Volto a repetir, quero preservar e melhorar o que construímos.
Não quero que você se decepcione comigo. Não sou perfeito, mas me esforço pra fazer o meu melhor.
Quero ficar pra sempre ao seu lado!

(Paulo Henrique) 

Ser feliz

Ser feliz é sentir o sabor da água, a brisa no rosto, o cheiro da terra molhada. É extrair das pequenas coisas grandes emoções. É encontrar todos os dias motivos para sorrir, mesmo se não existirem grandes fatos. É rir de suas próprias tolices. É não desistir de quem se ama, mesmo se houver decepções. É ter amigos para repartir as lágrimas e dividir as alegrias. É ser um amigo do dia e um amante do sono. É agradecer a Deus pelo espetáculo da vida...

(Paulo Henrique) 

segunda-feira, 14 de março de 2011

Rei Poeta

No tocar em sonhos impossíveis
Entoando acordes da doce canção
Assim reina o poeta
Rei da simplicidade e imaginação


O poeta é sonhador
Mas também é realista
Goza o romantismo e o amor
Onde tudo parece ser pessimista


Vive a viajar
Pois seu reino e utopias
Seus planos e ideologias
O mundo ousou rejeitar


Em suas horas de reflexão
Prefere estar com a solidão
Nos momentos de se alegrar
Os amigos não querem desprezar


Com feridas no coração
Partiu de seu lar
Deixando-nos uma promessa
Seu coração conosco há de estar


(Paulo Henrique) Homenagem ao Dia do Poeta! 

sexta-feira, 11 de março de 2011

Inspiração

É de manhã e o despertar me irradia
Ao ler um poema, navego nas nuances da filosofia
Caminho pelo pomar em uma tarde sombria
Espero Chegar o momento para te abraçar na noite fria.


Elevo meus pensamentos ao Pai Criador
No relento, admiro o belo
Preces reverenciam Nosso Senhor
O pulsar do meu coração está acelerado
O crepúsculo do dia me inspira
Aprecio o dançar dos vagalumes
Clareando a escuridão
Estou confortado por tudo o que sou
Escrevo meus versos como se fossem frases inteiras.


Quero mencionar de forma eloquente
Decidir com exatidão
Proclamar o veredito
Exclamar o que está escrito
Formular cada quesito e amparar quem está aflito.


 O saber é a arma do intelectual
Os desafios superam a negligência
Que predominam naqueles que vencem
Alcançam os que pleiteiam
e as vitórias se oferecem aos que almejam


(Paulo Henrique) 

Poema Noturno

Se sou poeta, sou noite
Em constante melancolia.
Hora sou gente e sentimento,
Hora um amargo vazio.
Sou aquele aprisionado no beijo dos amantes ou no simples andar do andarilho.
Sou à sombra da tristeza de um amor quase vadio.
Faço da frieza da palavra tinta e pergaminho, recriando em sonhos cristalinos, minhas mágoas do tempo de menino.
Choro e sinto, tudo isso, na esperança de no fim, ver meus soluços transformados em estrelas entrelinhas.
E é nesse turbilhão que de triste faço-me alegre, de noturno faço-me dia e de poeta passo a ser gente, acordando para mais uma rotina..
.


(Paulo Henrique) 

ArDOR - Por Sammara Vieira

Foi um parto sem anestesia. Tiraram-lhe as vísceras dos órgãos que melhor funcionavam, cérebro, coração, pulmão. Algoz como era, ela já previa o resultado de ter concebido um feto cuja vitaliciedade jamais poderia ser concebida. Ávida por mudanças como sempre fora, tinha agora que agüentar o pulsar de um coração que lhe quebrava por dentro, uma hemorragia interna que lavava seus desejos incontidos. Azarada desde sempre, ela já sabia que quando o amor lhe entranhasse pelo nariz, pelos olhos e pela boca, ela se inebriaria e arrebataria a si infligindo a ordem natural das coisas. Ela olhou para si e se assustou com a fortaleza que exibia os músculos do seu rosto, olhou novamente e se assustou com a fragilidade de um exército interior que ostentava um grito de guerra que bradava o nome dele. Não conseguira derramar uma gota de lágrima, não havia fonte, seus olhos eram agora de uma opacidade e de uma sequidão própria dos insensatos e de um pretume que se via tempestade mesmo estando eles mantidos em uma única direção, sem piscar, sem irradiar... Estáticos.

Faltava-lhe vontade, enquanto lhe jorrava determinação. Ela gritou quando viu o fruto morto. Só ela conseguiu ouvir, e só ela pode ver. Foi quando ela desejou que o criador da sua dor se dobrasse aos seus pés para que, como mandava a determinação ela pudesse lhe esmagar com o peso do próprio corpo morto, mesmo correndo o risco de dar-lhe a mão (como lhe mandava a vontade) e mais uma vez sair para passear na beira do mar. Uma frase ressoava aos seus ouvidos “Me esquece”. Portanto sua vontade era agora um devaneio que ela não mais suportaria(...)


Colaboração: Sammara Vieira.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Estrela Distante

Você é estrela brilhante
me encanta sem mesmo notar
porém minha estrela distante
no céu o seu brilho constante
me alegro tão só em olhar


Seu mundo tão longe do meu
impede que eu possa tocar
esse brilho que a vida lhe deu
esse anjo que Deus escolheu
para em meu pensamento morar


Vou ficar só aqui esperando
no meu céu esse brilho apagar
vou seguir meu caminho te amando
sua luz vai estar me guiando
mas jamais poderei te alcançar


(Paulo Henrique)

Acróstico a uma Pessoa Especial

Tão pouco tempo que a conheço
Ainda assim, posso assegurar, você conquistou seu lugar
Mesmo virtualmente
Afinal, adorei conversar com você
Raramente encontramos pessoas assim
Ainda mais com as características que você tem


(Paulo Henrique)

quarta-feira, 9 de março de 2011

Tenho Tanto Sentimento


Tenho tanto sentimento
Que é freqüente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.
Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.
Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.



(Paulo Henrique)

Eu Sinto Você

Lendo os seus versos, sentindo o carinho, sonhando sozinho,
eu sinto você;

Sentindo suas mãos, os delicados dedos teclando sem medo,
eu sinto você;

Percebo o seu amor, acalmando o meu peito e num mar de desejo,
eu sinto você;

Esse vulto sem rosto, a essência sem o corpo, minha mente procura
e eu sinto você;

E nesse momento, num breve encanto, percebo o quanto minha vida...
é você!

(Paulo Henrique)

Te quero porque é Amor...

Não te espero, só porque te quero.

Te quero, como sei que eu nunca quis alguém assim.

Não te espero, só porque te quero.
É porque te quero só pra mim...
Te quero na minha vida, na minha paixão.

Te espero, em todos os momentos e não só na solidão.

(Paulo Henrique)

terça-feira, 8 de março de 2011

HOMENAGEM ÀS MULHERES

Sempre guerreira, mãe, amante e amiga.
Ela é a dona da casa, profissional, intuitiva.
Vê sem que a mostrem, escuta longe e sente perto.
Cuidas das suas crias, de seus amores e suas dores.
Sofre calada, ri quando está triste, só para não preocupar os outros...
Dá comida, abrigo, conselhos, dá a roupa do corpo se preciso for.
Ela é nosso socorro, nosso porto seguro, nosso norte
Ela é a muralha e a flor. A vida e a morte.
A mão que bate, afaga e constrói.
Ela é o amor incondicional, a ausência que dói.
Porque ela faz melhor, ela faz mágica, se divide em mil.
E tudo sai perfeito, na hora certa, porque ela é surpreendente.
Ela corre, batalha, cansa e sai linda do banho.
Ela tem uma força só dela, única, um poder escondido.
Ela têm muitas dentro dela...
Ela sempre tem a palavra certa, ela sempre dá um colo ás amigas,
ao filho, ao seu amor, ao seu cachorro... ela carrega o mundo!
Ela é amorosa, solidária, uma Deusa aqui na terra.
E ela é isso diariamente
Mesmo frágil, muitas vezes com medo
Ela têm dúvidas e inseguranças
Mas ela arrisca e ousa, ela vai em busca
E ela sempre alcança.
Porque ela é sempre ela
Ela é sempre grande
Sempre Mulher.
(Paulo Henrique)

Homenagem: Dedico essa poesia a uma mulher mas do que especial, Tamara Gomes.

segunda-feira, 7 de março de 2011

O que posso fazer para te esquecer?

Pode aparecer outra pessoa em minha vida, que gosta de mim e mesmo assim continuaria pensando em você

Poderia você ir embora para um lugar bem distante e mesmo assim continuaria pensando em você

Eu poderia ir embora e mesmo assim continuaria pensando em você.

Por que as sua imagem está presa em minha mente? Por que tudo que está ao meu redor faz que eu pense você?

Daria tudo para te esquecer: fugiria , viajaria, tentaria gostar de outro alguém, faria qualquer coisa, para nunca mais sofrer , se pudesse voltar pra mim...

Mas quando paro para pensar, vejo que amo pensar em você, porque esse é o único meio de sentir que você estar perto de mim.

“Tão perto amor e mesmo assim tão longe”.

(Paulo Henrique)

Consonâncias

Nessa procura
Pela palavra perfeita
Pela rima completa
Pelo poema mais lindo do mundo...


Encontrei você


Que até não rima com amor
Não rima com verão
Não rima com noite estrelada,
Mas rouba minha sensatez
Minhas noites de sono
Minha paz, já não mais desejada.


(Paulo Henrique)

Quem somos nós? | Paula Taitelbaum

"Quem somos nós que vivemos de desatar os nós das gargantas e juntar esperanças e procurar saídas e levantar bandeiras e adiar partidas. Quem somos nós que dizemos sim querendo dizer não e que balançamos as idéias quando alguém pede perdão. Quem somos nós feitas de emoções, intenções, intuições, mas que também dizemos palavrão quando não cabe uma canção. (...) Quem somos nós que temos muitos colos, calma e paciência, mas que muitas vezes perdemos isso em busca da própria existência. Quem somos nós que desejamos muito mais do que carinho, comida, teto e paz. Que olhamos pra frente sem nunca deixarmos de olhar pra trás. Quem somos nós aqui, neste exato presente? Folha, galho, raiz ou semente? Quem somos nós, além de sermos gente?”

(Paula Taitelbaum. Trecho retirado de seu livro, “Mundo da Lua.")

sexta-feira, 4 de março de 2011

O Quebra-cabeça da Vida

Tudo o que nos fez feliz ou infeliz,
serve pra montar o quebra-cabeça da nossa vida,
um quebra-cabeça de cem mil peças.


Aquela noite que você não conseguiu parar de chorar,
aquele dia que você ficou caminhando sem saber para onde ir,
aquele beijo cinematográfico que você recebeu,
aquela visita surpresa que ela lhe fez, o parto do seu filho,
a bronca do seu pai, a demissão injusta,
o acidente que lhe deixou cicatrizes,
tudo isso vai, aos pouquinhos, formando quem você é.
Não há nenhuma peça que não se encaixe.
Todas são aproveitáveis.
Como são muitas, você pode esquecer de algumas,
e a isso chamamos de "passou"...


Não passou!! Está lá dentro, meio perdida,
mas quando você menos esperar,
ela será necessária para você completar o jogo e se enxergar por inteiro."


(Paulo Henrique)

Os excluídos | Martha Medeiros

Ao contrário do que o título desta crônica possa sugerir, não vou falar sobre aqueles que vivem à margem da sociedade, sem trabalho, sem estudo e sem comida. Quero fazer uma homenagem aos excluídos emocionais, os que vivem sem alguém para dar as mãos no cinema, os que vivem sem alguém para telefonar no final do dia, os que vivem sem alguém com quem enroscar os pés embaixo do cobertor. São igualmente famintos, carentes de um toque no cabelo, de um olhar admirado, de um beijo longo, sem pressa pra acabar.
A maioria deles são solteiros, os sem-namorado. Os que não têm com quem dividir a conta, não têm com quem dividir os problemas, com quem viajar no final de semana. É impossível ser feliz sozinho? Não, é muito possível, se isso é um desejo genuíno, uma vontade real, uma escolha. Mas se é uma fatalidade ao avesso - o amor esqueceu de acontecer - aí não tem jeito: faz falta um ombro, faz falta um corpo.
E há aqueles que têm amante, marido, esposa, rolo, caso, ficante, namorado, e ainda assim é um excluído. Porque já ultrapassou a fronteira da excitação inicial, entrou pra zona de rebaixamento, onde todos os dias são iguais, todos os abraços, banais, todas as cenas, previsíveis. Não são infelizes e nem se sentem abandonados. Eles possuem um relacionamento constante, alguém para acompanhá-los nas reuniões familiares, alguém para apresentar para o patrão nas festas da empresa. Eles não estão sós, tecnicamente falando. Mas a expulsão do mundo dos apaixonados se deu há muito. Perderam a carteirinha de sócios. Não são mais bem-vindos ao clube.
Como é que se sabe que é um excluído? Vejamos: você passa por um casal que está se beijando na rua - não um beijinho qualquer, mas um beijo indecente como tem que ser, que torna tudo em volta irrelevante - você inclusive. Se lhe bate uma saudade de um tempo que parece ter sido vivido antes de Cristo, se você sente uma fisgada na virilha e tem a impressão que um beijo assim é algo que jamais se repetirá em sua vida, se de certa forma este beijo que você assistiu lhe parece um ato de violência - porque lhe dói - então você está fora de combate, é um excluído.
A boa notícia: você não é um sem trabalho, sem estudo e sem comida - é apenas um sem-paixão. Sua exclusão pode ser temporária, não precisa ser fatal. Menos ponderação, menos acomodação, e olha só você atualizando sua carteirinha. O clube segue de portas abertas.

(Martha Medeiros)

Pedaços de Mim

Eu sou feito de
Sonhos interrompidos
detalhes despercebidos
amores mal resolvidos


Sou feito de
Choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão


Sinto falta de
Lugares que não conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci


Eu sou
Amor e carinho constante
distraído até o bastante
não paro por instante



Tive noites mal dormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não-prometidas


Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir,para não enfrentar
sorri para não chorar


Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei


Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo.


(Paulo Henrique)

quinta-feira, 3 de março de 2011

Canção Excêntrica

Ando à procura de espaço
para o desenho da vida.
Em números me embaraço
e perco sempre a medida.
Se penso encontrar saída,
em vez de abrir um compasso,
protejo-me num abraço
e gero uma despedida.


Se volto sobre meu passo,
é distância perdida.


Meu coração, coisa de aço,
começa a achar um cansaço
esta procura de espaço
para o desenho da vida.
Já por exausto e descrido
não me animo a um breve traço:
- saudoso do que não faço,
- do que faço, arrependido.


(Paulo Henrique)

quarta-feira, 2 de março de 2011

O Quase – Luís Fernando Veríssimo (Apócrifo)

Ainda pior que a convicção do não, e a incerteza do talvez, é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu ainda está vivo, quem quase amou não amou.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor, não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cor, está estampada na distancia e frieza dos sorrisos na frouxidão dos abraços, na indiferença dos “Bom Dia” quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até para ser feliz.
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.
Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência, porém, preferir a derrota prévia à duvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.